sábado, 1 de outubro de 2016

O fim da Terceira República (1988 - 2016)

Mesmo antes de optar pela disciplina de História, isto no ano de 2001, eu já era um colecionador de fatos. Guardava jornais, recortes de revista, entre outros, afinal era grande, como ainda continua sendo a necessidade de entender o mundo e a sociedade da qual sou parte sem ilusões. Continuo um paladino em minha busca.



quarta-feira, 18 de maio de 2016

"Se vires alguém se afogando, deves pular na água e tentar ajudar, mesmo se não souberes nadar" - Stanislaw Krzyzanowski

Uma homenagem às Mulheres esquecidas pelo ilegítimo atual "governo"

Me irrita profundamente a obsessão do mundo contemporâneo por Adolf Hitler. Multiplicam-se no televisor e nas bancas, o seu rosto e sua história, já há algum tempo. Sempre me pergunto se tais publicações detratam ou engrandecem sua história? Meço e questiono pela curiosidade que os alunos e alunas levam para sala de aula. Não foram poucas as vezes que ouvi coisas do tipo: "Ele foi um grande líder!", "estrategista". Fico consternado ao ouvir isto, evidentemente, ao passo que sempre rebato por dever. "Um líder não leva o próprio povo à destruição!"; "Um verdadeiro líder não estrutura o seu poder sobre a destruição do outro!"; "O melhor estrategista não perde uma guerra!".

domingo, 17 de abril de 2016

O forro que esqueceu o berço

 Belmonte em precisa leitura sobre um Golpe orquestrado através de uma mentira.

O pior tolo é o forro que acredita piamente, após a compra da liberdade, que perdeu cor e berço.

A compra de um par de sapatos é simbólica e faz o tolo regozijar-se, afinal em seu pensamento o gasto com o mínimo adereço, negado por crueldade pela classe dominante como elemento de distinção social, restitui-lhe a cidadania roubada imediatamente após o parto ainda na senzala.

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Invasões Napoleônicas e os Processos de Independências nas Américas

Carnaval de Ideologias (1937-39), mural do pintor mexicano José Clemente Orozco no Palácio do Governo de Guadalajara.

O Manifesto de Guadalajara
Neste manifesto, que ficou conhecido como El Grito de Dolores, o padre Miguel Hidalgo (líder de um movimento popular revolucionário iniciado em 1808) convocou, com o seu sermão, o povo mexicano à luta.

terça-feira, 5 de abril de 2016

Diversidade na África contemporânea: Nações Indígenas

Quando peço aos alunos e alunas que associem palavras à África, o que no geral me oferecem como resposta são impressões, opiniões superficiais em muito construídas por aquilo que a mídia os oferece em termos de informações sobre o continente.

As generalizações estereotipadas são, portanto, recorrentes, não por culpa dos meus aprendizes, mas certamente porque possuímos uma mídia pouco preocupada em dar aos espectadores uma informação mais profunda e complexa sobre o tema.

Desmontar, então, o olhar e a consciência da África como um continente unicamente negro, tribal, selvagem, atrasado, miserável, desigual, primitivo, atrasado, envolto em guerras civis, é uma tarefa desgastante e árdua. Afinal, não bastasse a briga contra os péssimos veículos de comunicação que possuímos, ainda temos que lidar com o trágico racismo, fundado no século XVIII pelo sueco Linné, alimentado por muitos falsos cientistas nos séculos seguintes, reproduzido pelas classes dominantes e incorporado na cultura popular por vários setores da sociedade, inclusive pela própria mídia local, dada a repetição de eurocentrismos.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Versões Religiosas para a Origem do Mundo, dos seres viventes e outros entes

Oni de Ifé. Escultura Iorubá dos séculos XV-XVI
A Origem do Mundo e dos Humanos para os Iorubás

"Tudo começou quando Olorum (Deus Supremo) se remexeu, se espreguiçou, cirando uma enorme massa de água. Essa água era Oxalá, o primeiro da grande família dos orixás funfun, os orixás de branco. (...)

Olorum criou Oduduwa e depois mais cento e cinquenta e dois orixás funfun. Chamou o primeiro orixá do Universo e disse:

- Vá Oxalá! Tome o saco da criação e vá criar o Aiyê, o mundo! (...)

Oxalá (...) partiu com os outros orixás. No caminho, porém, encontrou Exu, que se pôs diante dele e perguntou:

- Fez sua obrigação? Onde estão as oferendas necessárias para a viagem?