domingo, 23 de agosto de 2009

doc001-Rômulo e Remo: A fundação de Roma; Roma Antiga

Rômulo e Remo: A fundação de Roma
-------------------------------------------------------------------------------------------------
O poeta romano Virgílio e o historiador Tito Lívio encarregaram-se de imortalizar a lenda que narra a fundação de Roma. Segundo essa lenda, Roma foi fundada por Rômulo, cuja origem remonta a Guerra de Tróia.
-------------------------------------------------------------------------------------------------
O mito
Enéias, descendente da deusa Vênus, havia sido um dos heróis da Guerra de Tróia, cidade onde era príncipe, mas foi obrigado a fugir depois da vitória dos gregos. Ele tinha um destino a cumprir. Ele e seus companheiros chegaram a foz do rio Tibre, na Itália. Aí Enéias casou-se com Lavínia, filha do chefe de uma tribo dos latinos. Depois do casamento Enéias fundou uma cidade, a partir da qual os seus descendentes fundaram Alba Longa.
.
Esta era governada por um rei legítimo, no caso Numitor, até ser o mesmo ser destronado pelo seu irmão Amúlio. Este último (Amúlio) com vias a se garantir no trono, matou os descendentes varões do irmão, e condenou a sobrinha, Réia Sílvia, à virgindade perpétua, tornando-a vestal (sacerdotisa da deusa Vesta). No entanto, esta fecundada pelo deus Marte, deu luz à dois gêmeos, chamados Rômulo e Remo.
.
Amúlio temendo que os gêmeos heróis, filhos de um deus, pudessem tomar seu lugar, mandou atira-los no rio Tibre.
.
Rômulo e Remo se salvaram por um milagre e foram amamentados, em longa data, por uma loba que vivia à margem do rio.
.
Anos mais tarde foram encontrados e criados por um casal de pastores. Faustolo e a esposa, então cuidaram da guarda e da educação das crianças.
.
Quando adultos reconquistaram o trono de Alba Longa para o seu avô, Numitor, que em contrapartida permitiu aos mesmos a fundação de uma cidade por volta de 753 a.C.. Na guerra entre os irmãos pela fundação e governo dessa cidade, Rômulo saiu-se vencedor e matou o irmão. Nascia assim Roma, de origem divina e sob o signo da guerra.

Nenhum comentário: