quinta-feira, 1 de março de 2018

Brincando com os Mitos: A Caixa de Pandora

A CAIXA DE PANDORA
Entendemos hoje a palavra Mito como algo que denota uma farsa, mas esta nossa consideração contemporânea não coincide com a forma como no passado os antigos "gregos" lidavam com as suas histórias, muitas vezes embebidas em devoção religiosa.

Hesíodo, poeta grego do século 8 a.C., nos diz em sua obra Os Trabalhos e os Dias que o Titã Prometeu, criador dos homens, a partir do barro, quis dar lhes o fogo.

Zeus, muito mala, disse que o fogo era patrimônio das divindades do Olimpo e não deveria ser compartilhada com nenhuma criatura mortal.

Prometeu, caçador de treta e torcedor do timão, deu de ombros pra Zeus, entregou o fogo para as suas crias e rolou mó festa na favela. ^ ^

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Tinham razão os Libertos de Vassouras

Muitas pessoas se encantaram com o desfile da G.R.E.S Paraíso do Tuiuti, escola de samba do Rio de Janeiro, neste ano de 2018 e de fato não há como negar que por vezes somos surpreendidos por enredos que fogem daquela normalidade entediante muitas vezes dominante neste tipo de espetáculo. Bem, toda a repercussão na rede após a apresentação da escola carioca, me fez lembrar outro poderoso samba enredo lançado pela Estação Primeira de Mangueira no ano de 1988. Aliás, o ano de 1988 é simbólico de inúmeras maneiras e o movimento dos negros e negras não esqueceu de levar às ruas também neste ano, em essência, a mesma crítica que vimos agora apresentado de forma artística na Apoteose.
Deste modo, 130 anos após a assinatura da Lei Áurea em 13 de maio de 1888 a G.R.E.S Paraíso do Tuiuti proporciona uma excelente oportunidade para se construir uma reflexão necessária para pensar o país em que vivemos, acostumado a negar o apartheid que promove cotidianamente.

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Documento: O povo dos Sambaquis

O título do programa, produzido em 2016 pela TV BRASIL é: Pré-História no Brasil e os Sambaquis. Para acessá-lo basta clicar na imagem.

Documentos para análise: História da África

Belíssima série de livros produzidos pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), publicados em 2014, por meio da Divisão das Sociedades do Conhecimento – Setor de Comunicação e Informação, com apoio da Divisão para a Igualdade de Gênero, com financiamento do Governo da República da Bulgária. Sem dúvida uma excelente oportunidade para encaminhar discussão junto aos alunos e alunas com foco em uma reflexão histórica sobre o passado do continente africano.

Seguem os links para download, diretamente do site da UNESCO.






terça-feira, 17 de outubro de 2017

Documentos - Excerto da obra Discurso sobre a servidão voluntária de Etienne de La Boétie

Esta é a edição do livro que eu mais gosto.
Textos Iluministas
BOÉTIE, Etienne de La. Discurso sobre a servidão voluntária.

(...) Não há dúvidas, pois, de que a liberdade é natural e que, pela mesma ordem e de idéias, todos nós nascemos não só senhores da nossa alforria, mas também com condições para a defendermos.

Se acaso pusermos isso em dúvida e descermos tão baixo que não sejamos capazes de reconhecer qual o nosso direito e as nossas qualidades naturais, vou ter de vos tratar como mereceis e por os próprios animais a dar-vos lições e a ensinar-vos qual é vossa verdadeira natureza e condição.

Só quem for surdo não ouve o que dizem os animais: viva a liberdade! Muitos deles morrem quando os apanham. Como o peixe que, fora da água, perde a vida, também outros animais se negam a viver sem a liberdade que lhes é natural.

Se os animais estabelecessem entre si quaisquer grandezas e proeminências, fariam (creio firmemente) da liberdade a sua nobreza.